LGPD: Quais os impactos para as empresas?

LGPD
 Tempo de leitura: 4 minutos

A tão famosa LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) continua sendo muito discutida no Brasil. Afinal, nem todas as empresas entenderam seu papel e importância. 

Para que você entenda, de uma vez por todas, como a nova lei tem impacto nas empresas, criamos esse conteúdo. Além disso, falaremos o quanto a tecnologia será sua aliada nessa luta.

Não perca e garanta que sua empresa estará em conformidade. 

Conformidade de dados da LGPD.
#ParaCegoVer: Ilustração de uma mulher mexendo em seu celular e autorizando o uso da própria imagem.

O que é a LGPD

Já falamos aqui sobre a LGPD e como se adequar à ela. Mas vamos fazer uma leve menção a informações importantes, caso ainda não tenha visto nosso outro post!

A Lei Geral de Proteção de Dados (Lei 13.709, de 2018) entrou em vigor oficialmente dia 18 de setembro de 2020. 

Seu papel é regulamentar o uso, a proteção e a transferência de dados pessoais no Brasil.

Basicamente, é um controle e garantia que os usuários da internet tenham mais segurança em relação aos seus dados pessoais.  

Dados pessoais incluem: nome, RG, CPF, gênero, data e local de nascimento, telefone, endereço residencial, localização via GPS, retrato em fotografia, prontuário de saúde, cartão bancário, renda, histórico de pagamentos, hábitos de consumo, preferências de lazer; endereço de IP (Protocolo da Internet) e cookies, entre outros.

Impacto da LGPD nas empresas

É importante que sua empresa identifique todas as entradas de dados, faça o mapeamento e defina quais serão as medidas tomadas para evitar a temida multa. Que pode chegar até 50 milhões de reais!

Alguns departamentos dentro de sua empresa precisam ter maior atenção nesse momento. Sendo eles: 

  • Departamento de Marketing: Como o uso de dados têm sido cada vez mais utilizado no Marketing, especificamente no Digital, suas plataformas online – sejam elas aplicativos, sites ou portais -,  inclua em seu site o famoso termo de Política de Privacidade e Cookies. 
    É importante que todos dados tenham o consentimento de seus donos. E foque a coleta desses dados na qualificação, ao invés de volume.
  • Recursos Humanos: É importante ter um termo transparente do aceite de uso de dados do colaborador, parceiros e fornecedores ou clientes. Este pode ser incluído no contrato de trabalho ou prestação de serviços.
  • Departamento Financeiro: É comum que haja uma grande quantidade de informações nesse setor, e o consentimento de dados precisa ser descrito para cada uma das operações. Além de ser muito transparente.
  • Departamento Comercial: Comumente conhecido por lidar com prospecs, o departamento precisa ter o cuidado para que o lead tenha conhecimento que o vendedor tem posse de seus dados. 

Como o TI irá te ajudar

Faça questão da presença do departamento de tecnologia na implantação da LGPD

A tecnologia será crucial para garantir que não haja brechas de segurança e possíveis vazamentos de dados. 

A ANPD (Autoridade Nacional de Proteção de Dados), responsável pela regulamentação da lei no Brasil, orienta empresas sobre as medidas de proteção. 

E levanta que, caso haja esse tipo de vazamento, a empresa é responsável por sanar o problema e notificar todos os usuários que tiveram seus dados comprometidos. 

Funções do departamento de tecnologia na adequação da LGPD 

Protocolos de segurança evitam que situações como ataques ransomware (sequestro de dados) – ou o próprio vazamento de dados –  serão o que te salvarão de possíveis prejuízos. 

Afinal a tecnologia, em casos como esse, trabalha em caráter preventivo. 

Conformidade com a LGPD. 
#ParaCegoVer: Ilustração de um notebook com um cadeado simbolizando segurança e um homem em frente guardando informações.

Para estar em conformidade com a lei, é necessário ficar atento nos seguintes tópicos: 

  • Marco legal da LGPD: Pelo menos um profissional precisa ter conhecimento sobre o âmbito legal da lei e sua estrutura. Aconselhamos que um profissional se especialize na proteção de dados, ou que você contrate uma empresa especializada.
  • Conscientização de colaboradores: Treinar a empresa é importante para que todos estejam na mesma página e, mantenha a conformidade de modo geral.
  • Gerenciamento de dados: A equipe de TI irá criar acessos com autorizações e restrições de dados dos usuários, por meio de gerenciamento de API.
  • Criar protocolos de segurança: Verifique se sua empresa não está sujeita a qualquer brecha que pode ocasionar em vazamento de dados ou sequestro dos mesmos.

O que a BugBusterS recomenda: 

Nós, como profissionais de tecnologia e especialistas em privacidade de dados, recomendamos que as empresas realizem todo um mapeamento das informações. 

Para que as equipes tenham conhecimento da entrada e saída de cada dado. 

Assim, caso haja qualquer problema, a neutralização é mais fácil e a correção pode ocorrer com maior facilidade. 

Conclusão

Desmistificar a lei é uma tarefa contínua. E esse foi nosso principal objetivo com esse post!

Para que sua empresa evite ter problemas com a LGPD, faça um levantamento sobre todas as possíveis brechas, e as corrija! 

Por fim, nos disponibilizamos para auxiliar sua empresa com qualquer dúvida em relação à LGPD.

Nos conte se gostou do artigo e se essas dicas foram úteis para você!